Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

TÓPICOS AVANÇADOS EM GESTÃO AMBIENTAL E FLORESTALDISCIPLINA 360449

VER OFERTA

ÓrgãoEFL Departamento de Engenharia Florestal
Código360449
DenominaçãoTópicos Avançados em Gestão Ambiental e Florestal
NívelMestrado
Início da Vigência em1997/2
Pré-requisitosDisciplina sem pré-requisitos
EmentaInício da Vigência em 2018/2

A política ambiental no Brasil. Análise de temas envolvendo desenvolvimento e degradação ambiental e discussão sobre gestão e política ambiental. Gestão do meio ambiente: princípios e instrumentos. Licenciamento e avaliação de impacto ambiental: conceitos, etapas, técnicas, aplicações e experiências internacionais e brasileiras. Gestão de recursos solo, planta e hídrico do bioma Cerrado: evolução, instrumentos econômicos e jurídicos, aspectos institucionais, disponibilidade e demanda, controle da poluição das águas. Fundamentos e métodos de conservação e recuperação ambiental. Natureza dos contaminantes. Diagnóstico ambiental. Plano de recuperação ambiental. Valoração ambiental nos estudos de alternativas e de viabilidade. Sistemas de gestão ambiental e suas alternativas. Estudos de casos.
Objetivo: Capacitar os alunos na elaboração de projetos voltados para gestão ambiental e florestal.
Justificativa: Esta disciplina fornece ao pós-graduando conhecimentos teóricos e prático as da gestão ambiental e florestal realizado no Brasil, bem como discute alternativas para melhoria das condições vigentes.

ProgramaInício da Vigência em 2018/2

1. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. Aula 1
Apresentacao da disciplina e entrega do programa;
Divisao dos temas
Introducao a Politica Ambiental, conceitos e principios, diretrizes e estrategias de intervencao e instrumentos de gestao (Prof. Fernando)
2. Aula 2
Instrumentos de Gestao Ambiental (Avaliacao de Impacto Ambiental, Licenciamento Ambiental e Avaliacao Ambiental Estrategica) (Prof. Fernando)
3. Aula 3.
Recursos Hidricos: conflitos de uso, politica das aguas e instrumentos de gestao.(Prof. Fernando)
4. Aula 4
Espacos Territoriais Especialmente Protegidos e Instrumentos economicos (Prof. Fernando)
5. Aula 5
Gestao Florestal no Brasil
Fundamentos e metodos de conservacao e recuperacao ambiental.(Profa. Rosana)
6. Aula 6
Plano de recuperacao ambiental. Metodos de remediacao de poluicao
Tecnicas de recuperacao de area degradada. (Profa. Rosana)
7. Aula 7
Trabalho de campo
8. Aula 8
Trabalho de campo
9. Aula 9
Trabalho de campo.
10. Aula 10
Trabalho de campo
11. Aula 11
Apresentacao do seminário ¡§Fragmentacao de paisagens: efeitos para selecao de areas protegidas e conservacao da biodiversidade¡¨
12. Aula 12
Apresentacao do seminario ¡§ Valoracao de biodiversidade: analise de diferentes metodos e sua perspectiva de implantacao no Brasil¡¨.
13. Aula 13
Apresentacao do seminario ¡§ Interacao homem ¡V ambiente, como conciliar conservacao x conversao¡¨
14. Aula 14
Apresentacao do seminario ¡§ Descentralizacao e governanca¡¨
15. Aula 15
Apresentacao do seminario ¡§ Impacto das mudancas climaticas no Cerrado¡¨
16. Aula 16
Apresentacao do estudo de caso e entrega do PRAD.
17. Aula 16
Entrega das versoes finais com correcoes dos estudos de caso e PRAD

2. ESTRATEGIAS DE ENSINO
2.1. Descricao das estrategias
1. Aulas expositivas;
2. Esclarecimento de duvidas;
3. Acompanhamento dos trabalhos praticos;
4. Atendimento individual ou em grupo;

3. RECURSOS DIDÁTICOS
3.1. Descricao dos recursos
1. Exposicao no quadro;
2. Exposicao em Datashow;
3. Aulas praticas em campo.

4. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
4.1. Descricao dos criterios
Apresentacao dos estudos de casos, em formato de artigo cientifico de ate 15 páginas e apresentacao oral ¡V 50%
Apresentacao da sistematizacao das areas degradadas em area a ser definida, em papel e meio digital ¡V 25%
Apresentacao oral e escrita do seminario ¡V 25%
A presenca e obrigatoria.

BibliografiaInício da Vigência em 2018/2

1. BIBLIOGRAFIA
1.1 BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BURSZTYN, M.A. Gestão ambiental: instrumentos e práticas. Brasília: IBAMA. 1992
BURSZYTN, M.A.A.; BURSZTYN, Marcel. Gestão ambiental no Brasil: arcabouço institucional e instrumentos. In: NASCIMENTOS, E. P.; VIANNA, J.N. S. Economia, meio ambiente e comunicação. Rio de Janeiro: Garamond. 2006. 85- 112p
BURSZTYN, M. A.; BURSZTYN, M. Fundamentos de política e gestão ambiental: caminhos para a sustentabilidade. Rio de Janeiro: Garamond, 2013, 605p.
FELFILI, J.M.; RIBEIRO, J.F.; FAGG, C.W.; MACHADO, J.W.B. Recuperação de matas de galeria. Planaltina: EMBRAPA-CERRADOS. (Documentos – Embrapa Cerrados, n.21, p. 1-45). 2000.45p.
FELFILI, J.M.; SANTOS, A.A.B. Direito ambiental e subsídios para a revegetação de áreas degradadas no Distrito Federal. Brasília: Universidade de Brasília. (Comunicações Técnicas Florestais, v.4, n.2). 2002. 135p.
FELFILI, J.M.; REZENDE, R.P. Conceitos e métodos em fitossociologia. Brasília: Universidade de Brasília (Comunicações Técnicas Florestais, V.5, N.1). 2003. 68P.
LAHMAR, R. (coordenador). Salvemos nossos solos para proteger nossas sociedades. São Paulo: Instituto Pólis, 2004. Cadernos de Proposições para o Século XXI, 10.
LE PRESTRE, P. Ecopolítica Internacional. São Paulo: Ed. SENAC São Paulo. 2000. 518p. 23-39p; 41-59p;
MACHADO, P.A.L. Direito Ambiental Brasileiro. 11 ed. São Paulo: Malheiros, 2003.
MEDAUR, O. (org.). Constituição Federal do Brasil: coletânea de legislação de direito ambiental. 2.ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.
MONTIBILLER FILHO, G. Desenvolvimento Sustentável: o mito do desenvolvimentosustentável, meio ambiente e custos sociais no moderno sistema produtor de mercados. Florianópolis: UFSC, 2001.
MORAES, L.C.S. Código Florestal Comentado: com as alterações da lei de crime ambientais. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2000.
MORSELLO, C. Áreas protegidas públicas e privadas: seleção e manejo. São Paulo, Annablume; FAPESP. 2001. p. 66-200.
OECD. Environmental policy: How to apply economic instruments. 1991. Paris: OECD. 130p.
OECD. Environmental taxes and green tax reform. 1997. Paris: OECD. 55p.
OECD. Evaluating economic instruments for environmental policy. 1997. Paris:OECD. 141p.
OLIVEIRA, I.S.D. DE., MONTANO, M. E SOUZA, M.P. de. Avaliação Ambiental Estratégica. São Carlos:Suuprema. 2009.220p.
PARTIDÁRIO, M.R. Strategic environmental assessment – principles and potential. In: Handbook on Environmental Impact Assessement. Vol I. Petts, Judith (ed.). Blackwell, London. 1999.
PEREIRA, P. F.; SCARDUA, F. P. Espaços territoriais especialmente protegidos: conceito e implicações jurídicas. Ambiente e Sociedade. Campinas. V. XI n.1 p. 81-97. Jan-jun. 2008.
PORTER, G.; BROWN, J.W. Global environmental politics. Colorado:westview Press. 2ed. 1996.1-31p.
ROCHA, J.C.S. Função Ambiental da Cidade: direito ao meio ambiente urbano ecologicamente equilibrado. São Paulo: Juarez de Oliveira, 1999.
RUSCHEIRIKY, A. et al. Educação Ambiental: abordagens múltiplas. Artmed: Porto Alegre, 2002.
SANCHEZ, L.E. Avaliação de Impacto Ambiental. Rio de Janeiro: Oficina de Textos. 2006. 495p.
SANTOS, M. Da totalidade ao lugar. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.
SCARDUA, F.P.; BURSZTYN, M.A.A. Descentralização da política ambiental no Brasil. Revista Sociedade e Estado. Vol 18(1/2). Jan/dez. 2003. 291-314p.

1.2 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
Artigos científicos, Teses e Dissertações relacionadas à gestão ambiental e florestal no Brasil.

1.3 BIBLIOGRAFIA ADICIONAL
LAMPRECHT, H. Silvicultura nos trópicos: ecossistemas florestais e respectivas espécies arbóreas. Rossdorf. 1990.
RIBEIRO, J.F. Cerrado: matas de galeria. Planaltina: EMBRAPA-CPAC, 1998.164p.
SADLER B. The evaluation of assessement: pos-EIA research and process development. In: WATHERN, PETER. 1995. Environmental impact assessement: Theory and practice. New York: Routledge. 129-142p.
SALOMÃO, A.N. et al. Germinação de sementes e produção de mudas de plantas do cerrado. Rede de Sementes do Cerrado. Brasília, DF. 2003.
UNESCO. Educação para um futuro sustentável: uma visão transdisciplinar para ações compartilhadas. Brasília: IBAMA, 1999.