Carregando...

DISCIPLINA Listagem de Ementa/Programa

BIODEGRADAÇÃO E PRESERVAÇÃO DA MADEIRADISCIPLINA 360228

VER OFERTA

ÓrgãoEFL Departamento de Engenharia Florestal
Código360228
DenominaçãoBiodegradação e Preservação da Madeira
NívelMestrado
Início da Vigência em1997/1
Pré-requisitosDisciplina sem pré-requisitos
EmentaInício da Vigência em 2018/2

Conceitos sobre Deterioração e Preservação de madeiras envolvendo agentes biológicos, químicos, físicos e mecânicos, além de processos e produtos químicos utilizados na proteção de madeira para os mais diferentes usos e finalidades.
Objetivo: Capacitar os alunos sobre o desenvolvimento histórico e a importância da biodeterioração de madeiras. Estudar as técnicas que possibilitam aumentar a durabilidade da madeira em uso, através de tratamentos com produtos químicos preservantes e os seus impactos em relação ao uso racional da madeira e ao meio ambiente. Levantar discussões sobre os processos e produtos utilizados na
prevenção e controle da deterioração da madeira, dando aos alunos condições de avaliar a importância sobre a execução de processos de tratamento. Realizar abordagens individualizadas de forma a contribuir para a formação dos alunos dentro das suas respectivas áreas de especialização.
Justificativa: A madeira é um material de origem orgânica, e como tal, está sujeita a deterioração causada por diferentes tipos de agentes (biológicos, físicos, químicos e mecânicos). Realizar o tratamento preservativo da madeira significa evitar, imunizar ou retardar as diferentes formas de deterioração, tendo como resultado uma significativa melhora na utilização de produtos e subprodutos florestais, possibilitando agregar valor a esses produtos de origem florestal. Por outro lado, efetuar esse tipo de proteção à madeira, também significa incorporar produtos químicos biocidas ao material, com
suas consequentes implicações em relação à saúde pública e ao meio ambiente. Portanto, é importante o conhecimento dos produtos e métodos disponíveis, de forma realizar uma proteção com o mínimo de riscos possíveis. Tanto a geração de novos conhecimentos como a transferência do conhecimento existente requerem profissionais especializados no assunto.

ProgramaInício da Vigência em 2018/2

1. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1. Introdução a Biodeterioração e Preservação de Madeiras.
1.1 Conceitos
1.2 Aplicações
1.3 Importância
2. Estudo da Situação Atual dos Produtos e Métodos de Tratamento.
2.1 Importância
2.2 Usos
2.3 Aplicações
3. Estado da Arte da Preservação de Madeiras no Brasil e no Mundo.
3.1 Importância
3.2 Comportamento

2. ESTRATÉGIAS DE ENSINO
2.1. Descrição das estratégias
1. Aulas expositivas;
2. Resolução de exercícios;
3. Acompanhamento dos trabalhos práticos;
4. Atendimento individual ou em grupo;

3. RECURSOS DIDÁTICOS
3.1. Descrição dos recursos
1. Exposição no quadro;
2. Exposição em Datashow;
3. Aulas práticas em campo e no laboratório de informática.

4. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
4.1. Descrição dos critérios
1. Participação em sala de aula;
2. Provas;
3. Relatórios de trabalhos práticos;
4. Preparação de Manuscrito.

BibliografiaInício da Vigência em 2018/2

ALVES, M. V. da S.; MENDES, A. de S. Biodegradação e preservação da madeira. Brasília: IBAMA, 2002. 40p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 16143 – preservação de madeiras sistema de categorias de uso. Rio de Janeiro, 2013.19 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6232 - penetração e retenção de preservativo em postes de madeira. Rio de Janeiro, 2013. 16 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9480 - peças roliças preservadas de eucalipto para construções rurais – Requisitos. Rio de Janeiro, 2009.12 p.
CAVALCANTE, M. S. Deterioração biológica e preservação da madeira. São Paulo, IPT, 1982. 41p.(Pesquisa e Desenvolvimento, 8)

CARTWRIGT, K. S. T.G.; FINDLAY, W. P. K. Decay of timber and its prevention. London: Her Majesty’s Stationery Office, 1958. 332p.

COSTA, A. F. da Processos práticos de tratamento de madeiras para o meio rural. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1992. 26p. (Textos Universitários)
COSTA, A. F. da Como preservar a madeira no meio rural. Brasília: Quick Printer, 2003, 31p. (Comunicações Técnicas Florestais, v.5, n.2)

DEON, G. Manual de preservação de madeiras em clima tropical. França: Centre Technique Forestier Tropical, 1989. 116p.

EATON, R. A.; HALE, M. D. C. Wood: decay, pests and protection. London: Chapman & Hall, 1993. 546p.

GALVÃO, A. P. M.; JANKOWSKY, I. P. Secagem racional da madeira. São Paulo: Nobel, 1985. 112p. 3

HUNT, G. M.; GARRATT, G. A. Wood preservation. 3a ed. New York: McGraw-Hill, 1967. 433p.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Manual de preservação de madeiras. São Paulo: IPT, 1986. vol. 1 e 2.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Biodeterioração de madeiras em edificações / coordenador A.T. Lelis...[et al.]. São Paulo:Publicação IPT 2686. 2001. 54p.

JOLY, P.; MORE CHEVALIER, F. Théorie, pratique & économie du séchage des bois. Editions H. Vial, 1980. 204p.

MARQUES, M. H. B. ; MARTINS, V. A. Secagem da madeira. Brasília: IBAMA, 2002. 46p.
MENDES, A. de S.; MARTINS, V. A.; MARQUES, M. H. B. Programas de secagem para madeiras brasileiras. Brasília: LPF/IBAMA, 1998. 114p.

NICHOLAS, D. D. Wood preservation and its prevention by preservatives treatments. Suni: Syracuse University Press, 1985. v.1, 380p.

PONCE, R. H.; WATAI, L. T. Manual de secagem da madeira. Brasília: MIC/STI, 1985. 75p. RASMUSSEN, E. F. Dry kiln operator’s manual. Madison: USDA, Forest Products Laboratory, 1961. 197p.

RICHARDSON, B. A. Wood preservation. 2ª ed. Londres: E & FN Spon, 2003. 239p.
SANTINI, E. J. Biodeterioração e preservação da madeira. Santa Maria: CEPEF/FATEC, 1988. 125p.

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO; SOUZA, M.H. de; CAMARGOS, J.A.A. Madeiras Tropicais Brasileiras = Brazilian Tropicas Woods. Brasília: SFB/LPF, v.2, 2014. 150p.
SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO; MELO, J.E. de; CAMARGOS, J.A.A. A Madeira e Seus Usos. Brasília: SFB/LPF, 2016. 228p.

TECNOLOGIAS APLICADAS AS SETOR MADEIREIRO Ed. OLIVEIRA, J.T.S.; FIEDLER, N.C.;

NOGUEIRA, M. Jerônimo Monteiro, ES, 420p. 2007.

TOMASELLI, I.; KLITZKE, R. J. Secagem da Madeira. Curitiba: Fundação Hugo Simas/UFPR, 2000. 90p. il.

UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE (USDA). Wood Handbook: Wood as Engineering material. USDA: Washingthon, 2010. 509p.

ZABEL, R. A.; MORRELL, J. J. Wood microbiology: decay and its prevention. San Diego: Academic Press, 1992. 476p.

SITES EM PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS
ASSOC. BRAS. DE PRESERVADORES DE MADEIRA www.abpm.com.br
INT. RESEARCH GROUP ON WOOD PROTECTION www.irg-wp.com
MONTANA QUÍMICA S.A. www.montana.com.br
JIMO QUÍMICA INDUSTRIAL LTDA www.jimo.com.br